Eunice Muñoz já não vai participar na peça de Filipe La Féria

vip-pt-16074-famoso-eunice-munoz-atriz.jpg

Segundo a agência Lusa, dias antes da estreia da peça (11 de Agosto) Eunice Muñoz afirmou que estava na altura de a fazer, apesar de a sua saúde “não ter estado muito brilhante”.

Eunice Muñoz não vai conseguir actuar na peça As Árvores Morrem de Pé devido a problemas de saúde, segundo informou o filho, António Muñoz, à agência Lusa. A actriz foi operada ao coração e “encontra-se em período de convalescença”, informou a mesma fonte. A peça está em cena no Teatro Politeama, em Lisboa.

“Esperamos uma boa e consistente recuperação, para que a minha mãe possa voltar a pisar o palco, logo que seja possível”, acrescentou António Muñoz.

A actriz, de 88 anos, era uma das protagonistas do espectáculo, do dramaturgo espanhol Alejandro Casona, com encenação de Filipe La Féria. IN, Sábado

Vasco Palmeirim: “Não trabalho para a RTP”

nova-gente-38901-noticia-vasco-palmeirim-esta-solteiro.jpg

É o apresentador do programa do momento em Portugal. Vasco Palmeirim conduz o “The Voice Portugal” na RTP1, ao lado de Catarina Furtado e garante que não trabalha para a RTP.

Vasco Palmeirim diz que a partir de janeiro de 2017 está no mercado até porque não tem contrato com a RTP.

O co-apresentador do “The Voice Portugal” dá a entender que, caso a RTP nºao o chame para um novo projecto, está a berto a propostas da SIC e da TVI.

Não trabalho para a RTP, mas para produtoras que, depois, vendem os seus produtos à RTP“, começa por dizer à TV Guia. No entanto, Vasco Palmeirim diz que se sente “uma cara da RTP” mas apenas pelo facto de “há uns très/quatro anos a esta parte, fazer alguns programas com eles“, frisa.

E termina esclarecendo que “Não tenho nenhum contrato de exclusividade com a RTP. Por isso, não fecho nenhuma porta. Estou no mercado (risos) Tudo depende do projecto

Quanto ao fracasso da sexta temporada da “Casa dos Segredos” da TVI, Vasco Palmeirim diz que “é mais do mesmo, e as pessoas já não aderem da mesma forma … Está desgastada porque já vai na sexta edição

 

 

Sofia Escobar de malas e bagagens para a TVI

JMO_0620.jpg

A jurada do programa “Got Talent Portugal” da RTP1 está de partida para a TVI.

Sofia Escobar é a mais recente contratação da TVI para integrar o elenco da nova produção do canal, que tem como nome provisório “Ouro Verde“.

Resta agora saber se a presença no programa de talentos da RTP1 fica comprometida devido à gravação da nova telenovela da TVI.

 

José Rodrigues dos Santos: “os políticos querem-me fora do jornalismo”

Jose_rodrigues_santos_1.jpg

José Rodrigues dos Santos já vendeu três milhões de exemplares dos romances que escreveu. No momento em que “Vaticanum” chega às livrarias, o jornalista diz que “há críticos em Portugal que se afogam na inveja”.

 

Considera que a crítica literária em Portugal é justa para com as suas obras?
Não é uma questão de justiça. A crítica em Portugal divide-se muitas vezes segundo linhas de apreço pessoal, e constato que alguns críticos exigem que eu escreva de uma maneira que não quero nem gosto de escrever. Já a crítica internacional é esmagadora na apreciação positiva da minha obra. Basta ler o que os críticos literários escrevem em França, na Alemanha, na Holanda, nos países de Leste, e ficamos elucidados.

Em Portugal, ao contrário do que acontece no estrangeiro, ainda se avaliam as obras sem dissociar as mesmas do seu autor? Por que razão considera que isto acontece?
Porque um crítico português não consegue, e isso é natural e humano, separar do autor a análise da obra. Se o crítico simpatiza pessoalmente comigo, tende a ser simpático. Se antipatiza, tende também a refletir isso na crítica. Já o crítico internacional não me conhece de parte alguma, não tem simpatia nem antipatia, não tem ideias pré-concebidas e limita-se a avaliar o que lê.

Ghost writers ou não ser o próprio a escrever os seus livros: qual o rumor que mais o diverte e porquê?
Todos os rumores me divertem porque refletem alguma desorientação perante a minha obra. Só os leitores portugueses é que não estão desorientados. Sabem o que querem. E não são nada parvos. Os leitores de livros são um público especial, culto e informado, e muito exigente. Há críticos que na sua arrogância acham que os leitores são estúpidos e não percebem que é o contrário, os leitores são bem mais inteligentes do que eles.

Investigação ou escrita do livro: qual é a fase da criação que mais o entusiasma?
As duas. Uma obra é essencialmente transpiração pintalgada por inspiração, para usar o velho cliché, e isso reflete-se na investigação e na escrita. Só não gosto da fase de revisão. Aborrece-me.

Vai continuar a não responder à pergunta sobre qual o seu livro de que mais gosta?
Não é que não queira responder, é que não sei como responder a essa pergunta.

Qual a sua maior referência literária? Porquê?
William Somerset Maugham. Mostrou como é possível falar de coisas profundas de uma forma fluida, compreensível e interessante. É o grande mestre.

Considera que as suas obras têm uma conotação política e que quem as lê pode atribuir determinada inclinação ideológica?
De modo nenhum. A minha orientação ideológica é a verdade e a verdade não é de esquerda nem de direita, é a verdade. Sinto-me livre para expor a verdade sem complexos nem me deixar condicionar pelo bullying manobrado pelas agências de comunicação dos partidos, e creio que os leitores, que não os políticos, apreciam isso.

Vai continuar no jornalismo por muitos anos? De que forma esta profissão o complementa enquanto romancista?
Ser jornalista faz parte da minha identidade, pelo que não faço tenções de abandonar esta profissão.

Mas existem pessoas em Portugal que querem vê-lo fora do jornalismo?
Os políticos, sem dúvida. Não direi todos, pois naturalmente nem todos são iguais nem se pode pôr toda a gente no mesmo saco, mas muitos, talvez a maioria, não quer jornalistas incómodos, que fazem perguntas inconvenientes e que expõem a mentira. Preferem o jornalismo do respeitinho, da cumplicidade, da submissão aos interesses instalados. Para esse tipo de políticos, um jornalista obcecado pela verdade provoca incómodo.

Ainda existe algum tema que não tenha explorado nos seus romances e que lhe apeteça aprofundar para um próximo livro?
Com certeza que sim. Espere pela próxima obra e verá.

Como definiria o seu mais recente thriller, “Vaticanum”?
É um romance sobre a corrupção na Santa Sé e conta histórias reais com nomes verdadeiros sobre as negociatas entre o Vaticano, a mafia e a classe política. Esse é o tema real do livro. O ponto de partida ficcional é o rapto do papa por um comando do Estado Islâmico. Digo que isto é ficcional, mas na verdade ainda no mês passado o Estado Islâmico anunciou que o seu inimigo número 1 é o papa. Não é o presidente dos EUA nem o primeiro-ministro de Israel, é o papa. Isto mostra que a “ficção” no romance não é tão ficção quanto isso.

Afinal, o que escondem os bastidores do Vaticano?
Muita lama, acredite. E envolve papas, incluindo João Paulo II. A minha mulher acha que é o livro mais escandaloso que já escrevi.

Espera obter mais reações enérgicas por parte da Igreja Católica com o seu novo trabalho?
Do que vai a Igreja acusar-me? De dizer a verdade? Mas dizer a verdade é justamente o meu dever.

IN, Económico

Casa dos Segredos 6: e o segredo da TVI é … “pretende terminar o SS6 mais cedo devido às más audiências”

img_818x455$2014_10_13_12_31_39_410894.jpg

A hipóteses está em cima da mesa e poderá mesmo ir adiante devido aos maus resultados da sexta edição da Casa dos Segredos 6.

A VOX POP TV sabe que este desfecho só será utilizado pela TVI se o “The Voice Portugal” continuar a vencer o reality show.

Agora com o fim das provas cegas do talent show da RTP1, a TVI espera que o programa da estação pública perca audiência e que o Secret Story 6 comece a recuperar audiência.

Derrota após derrota para o formato da RTP1, Teresa Guilherme mantem-se em silêncio e não comenta as fracas audiências nem o fim antecipado da Casa dos Segredos 6 que a TVI tem em cima da mesa.

teresa.jpg

Se o fim antecipado vier a acontecer, a TVI fará regressar “A Tua Cara Não Me é estranha” numa nova temporada que já está a ser gravada a todo o gás.

“Prós & Contras”: Fátima Campos Ferreira bate recorde de audiência

ng2105467.gif

Debate sobre protestos dos taxistas contra as aplicações de transportes Uber e a Cabify permitiu ao programa “Prós e Contras” alcançar a sua melhor audiência desde março de 2012

O programa da RTP1 alcançou, esta segunda-feira, o seu maior número de espetadores desde que a medição das audiências é feita pela empresa de estudos de mercado GfK: 591 mil espetadores, atingindo 6,1% de “rating” e 14,1% de quota de mercado. “Prós e Contras” reuniu, assim, o seu maior número de espetadores desde março de 2012.

Apresentado por Fátima Campos Ferreira, o programa teve como tema “Táxis e as novas plataformas de transportes”, no mesmo dia em que milhares de taxistas protestaram contra as plataformas tecnológicas de transporte de passageiros Uber e Cabify.

Representantes do setor dos táxis, das novas plataformas e do Governo marcaram presença no programa da RTP1. Em estúdio esteve José Mendes, Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, bem como Filipe Moura, professor de Mobilidade e Transportes do Instituto Superior Técnico, e Tito Rendas, professor de Direito da Universidade Católica Portuguesa. Na plateia participaram também no debate Florêncio de Almeida, presidente da Associação Nacional dos Transportes Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) e o presidente da Federação Portuguesa do Táxi (FPT), Carlos Ramos, assim como Rui Bento e Nuno Santos, representantes da Uber e do Cabify respetivamente.

IN, JN

 

 

ÚLTIMA HORA: Miguel Araújo abandona “Os Azeitonas”

maxresdefault.jpg

Leiam o Comunicado que a banda acabou de fazer através das redes sociais:

“Caríssimos: o nosso Miguel A.J. vai sair.
Voltando atrás, no fundo, nada disto devia ter acontecido.

Desde o princípio: somos uma banda que cresceu ao contrário.
Como uma brincadeira. Num mundo normal teríamo-nos ficado por aí, não fosse uma conjugação bizarra de eventos, um convite do Rui Veloso, uma teimosia nossa em continuar, só para ver no que dá, e o Bruno Vieira nos Ídolos para rematar. Com trabalho, sempre com gosto, e muito bem acompanhados por uma equipa de músicos e técnicos que desde logo se tornaram nossos amigos. Foi sorte. E cá estamos nós, 14 anos depois.

Numa mesma redução ao absurdo, o Miguel sair dos Azeitonas é uma contradição. Porque o Miguel é dos Azeitonas. Mesmo saindo da banda. Mas não há tempo para tudo. E nestes últimos anos, conciliar agendas tornou-se uma tarefa muito difícil. Depois, herculeana. Até se tornar impossível.

Num mundo normal a banda parava. De tocar ou gravar. Até haver tempo. Ou tocava só de vez em quando. Mas na continuação do absurdo, e porque estamos todos alinhados: é prá frente que se anda! Porque também não devia acontecer. Somos um gozo que queremos manter, um legado a continuar, ainda com músicas na calha por gravar e a sensação que, embora com mais um capítulo a chegar ao fim, ainda há história por viver e contar. Arregaçamos as mangas e aproveitamos o que tivémos, o que temos, e fazemos pelo que podemos vir a ter.

Os Azeitonas nunca serão o mesmo sem o Miguel. Não é suposto. Palavras como “paraportugalidade”, conjunções de acordes como no “CineGirasol”, e pedidos como “Anda Comigo Ver os Aviões” existirão só num universo “AJ d’Os Azeitonas”. Mas somo-lo por ele, e também para ele. E para que fique registado: porque a casa é de todos, as portas estão sempre abertas. Entretanto: “dá-le, Mendes”! É fazer acontecer!

Somos de Ti!

P. S. – O Miguel irá participar em todos os concertos até final de 2016″

Os Azeitonas

Ana Bola manda recado para ex-concorrentes da “Casa dos Segredos” da TVI

maxresdefault.jpg

Aí está de novo Ana Bola às voltas com o programa das noites de domingo da TVI, a “Casa dos Segredos”. E desta vez há recados para os ex-concorrentes do reality show.

Leia agora o texto que a actriz escreveu:

Para não banalizar,é a última vez que posto isto,até porque já não há dúvidas.The Voice 30,5 e Casa dos Segredos 22,5.Quanto aos ex concorrentes que tanto se preocuparam comigo,que chegaram a especular que os meus posts teriam a ver com o facto de eu não ter trabalho e, por isso mesmo,precisar de dar nas vistas,digo o seguinte: muito obrigada pela vossa preocupação,mas tenho trabalho até demais para uma senhora da minha provecta idade .Em relação à sopinha que um dos ex concorrentes disse que não me negaria,agradeço do fundo do coração,mas já que é pasteleiro e faz,segundo se diz,uma maravilhosa torta de laranja,esteja se quiser à vontade para mandar uma ou mais,que a sopa faço eu em casa.Muito obrigada a todos.🙂.” – Ana Bola.

Mais tarde, Ana Bola acrescentou:

E para acabar com isto vamos fazer um exercício Srs.Ex concorrentes.Pensem comigo: se o programa desceu da maneira que desceu,se o formato é o mesmo,apresentadora também,se o horário é o mesmo,o que e que pode ter acontecido? Das duas uma,ou as pessoas se cansaram do programa, ou os actuais concorrentes são muito desinteressantes. Isto é um elogio.

Actor João Ricardo operado de urgência à cabeça

 

14519650_1132149676833072_809926839565136304_n.jpg

O actor sentiu-se mal durante as gravações da telenovela da SIC.

É a notícia que marca o fim de semana. O aCtor João Ricardo foi operado de urgência a um tumor na cabeça, depois de se ter sentido mal na sexta-feira em plenas gravações. Foi operado e espera agora pelos resultados patológicos ao tumor.

Tiago Ginga imita Maria Leal, sua ex-namorada | COM VÍDEO

nova-gente-49646-noticia-tiago-ginga-acusa-bernardina-de-abandonar-o-filho_2.jpg

Depois de ter visto a sua ex-namorada cantar no programa “Você na TV”, da TVI, Tiago Ginga decidiu gozar com Maria Leal e vestiu-se de mulher e com a ajuda de 2 amigos fez um vídeo onde caricatura a sua Ex.

 

Este foi o vídeo que Tiago Ginga gravou e que já está disponível na plataforma Youtube e promete tornar-se viral nas redes sociais.nova-gente-49646-noticia-tiago-ginga-acusa-bernardina-de-abandonar-o-filho_2.jpg