Os 5 Jornalistas mais temidos pelos políticos portugueses!

Os 5 Jornalistas mais temidos!

Os políticos portugueses fogem deles a sete pés. E, se acederam uma vez a serem entrevistados por eles, à segunda já não aceitaram o convite.

A equipa da VOX POP TV reuniu-se e elegeu o top 5 dos jornalistas portugueses que os políticos portugueses mais temem em encontrarem como entrevistadores.

1 – Manuela Moura Guedes

Afastada da televisão por duas vezes, primeiro na TVI e depois na SIC, segundo a própria, por razões políticas, a jornalista Manuela Moura Guedes começou a ter dificuldades em ter convidados para serem entrevistados no “Jornal Nacional de Sexta” por não deixar nada por perguntar e por expremer quem se sentava na cadeira para responder às suas perguntas.

2 – José Rodrigues dos Santos

Por duas vezes foi Director de Informação, por duas vezes teve de se demitir por vários tipos de pressões e tentativas de corrupção, segundo já fez questão de relatar em várias entrevistas. Na segunda vez que se demitiu do cargo de director foi alvo de um processo disciplinar levantado pelo então Presidente da RTP, Almerindo Marques, com o objectivo de ser demitido. Entretanto, Almerindo Marques é afastado da presidência da RTP e o processo disciplinar ao pivot do Telejornal é arquivado.

Conduziu o espaço de comentário protagonizado José Sócrates nas noites de domingo e não deixou de perguntar aquilo que os portugueses queriam ver respondido. Resultado: irritou José Sócrates que saia do estúdio da RTP bastante irritado com José Rodrigues dos Santos.

3 – Ana Leal

Começou a dar visibilidade ao jornalismo de investigação em Portugal e depressa ganhou inimigos. Do seu Currículo na área de investigação, destacam-se várias reportagens, como o caso da Associação “Raríssimas” que abanou o governo e o ex-ministro Vieira da Silva que, apesar do escândalo, não se demitiu, nem foi demitido, continuando no cargo até à constituição do novo governo formado em setembro deste ano.

4 – Sandra Felgueiras

É o rosto do jornalismo de investigação da RTP e, recentemente teve um ´bate-boca’ com o secretário de estado João Galamba nas redes sociais, que mais tarde recebeu em estúdio para se explicar devido às porpoções da notícia dos “Sexta às 9” sobre o lítio alcançou no país.

Recentemente acusou a direcção de informação da RTP, liderada pela jornalista Maria Flor Pedroso, de ingerências no regresso do formato e de interferir nas investigações do programa que apresenta semanalmente no Canal 1 da estação pública.

5 – Alexandra Borges

Também na área do jornalismo de investigação, a jornalista Alexandra Borges não foge à regra, e também ela é temida pelos políticos devido às várias reportagens que já fez e denunciou casos nos serviços da função pública e não só. Já foi ameaçada depois da exibição de várias reportagens assinadas por si.

CR da RTP: ""Não ficou demonstrada intenção por parte da directora de informação de prejudicar a investigação"

Polémica RTP

O Conselho de Redacção (CR) da RTP, numa deliberação que data do dia 29 de dezembro, diz que “não ficou demonstrada nenhuma intenção propositada” da directora de informação cessante Maria Flor Pedroso “no sentido de prejudicar a investigação jornalística” do “Sexta às 9” sobre o ISCEM.”

“Perante as dúvidas levantadas por diversos sectores, tendo em conta a importância decisiva do bom nome da redacção, torna-se imperativo que quaisquer alegações sobre esta matéria sejam comprovadas pelos seus autores, de forma irrefutável”, lê-se na deliberação.

O Conselho de Redacção da RTP acrescenta que “deveria ter existido maior bom senso por parte” de Maria Flor Pedroso “quando questionou o ISCEM – através da ligação de docência que mantinha com a instituição – com recurso a informação privilegiada, referente a uma investigação. Nesse sentido, acreditando que o intuito da directora de informação era auxiliar a reportagem, entende-se que todas as iniciativas realizadas pela directora de informação deveriam ter sido imediatamente comunicadas à equipa do programa ‘Sexta às 9’ em curso.

O órgão salienta que, “no futuro, torna-se imprescindível que qualquer diligência efetuada por elementos da Direção de Informação, com o intuito de auxiliar investigações”, tal “seja comunicada de forma imediata e completa aos jornalistas responsáveis pelos trabalhos em causa”.

Por isso, “afigura-se manifestamente desejável a existência de extrema prudência na abordagem de matérias sob sigilo profissional dos jornalistas, em particular nas situações em que possa a vir ser alegado um eventual conflito de interesses”, aponta, salientando ainda que no que respeita aos procedimentos adoptados pela directora-adjunta responsável pela informação não-diária, “apesar de não ter sido possível um esclarecimento presencial, não ficou evidente nenhum propósito intencional de prejudicar” a investigação.

Assim, “a metodologia adoptada pela directora adjunta responsável […] o acompanhamento da investigação jornalística em causa poder-se-á enquadrar nos procedimentos internos de funcionamento” da direcção, “sem que lhe deva ser imputada qualquer acção ilegítima“.

VOX POP TV / TSF

“Sexta às 9” foi o 5º. programa mais visto esta sexta-feira em Portugal

Informação

O programa da RTP que mais tem sido falado nas últimas semanas, alcançou ontem, sexta-feira, o quinto lugar do pódio dos mais vistos em Portugal.

Sandra Felgueiras, a jornalista da estação pública que lidera uma pequena equipa de jornalismo de investigação viu o seu programa registar 9,3% de rating e 19,2% de share.

Para além de ter sido o quinto programa mais visto do dia em Portugal, o “Sexta às 9” foi o programa mais visto do dia da RTP1, ficando à frente do “Telejornal” e até mesmo do campeão de audiências “O Preço Certo”.

NOTA: os dados aqui apresentados são da responsabilidade da CAEM/Gfk. (Dados Live) Nota_ não inclui dados Vosdal)

Última Hora: Maria Vieira arrasa RTP

Última Hora

A actriz Maria Vieira acaba de arrasar a estação pública, onde a principal área visada foi a informação.

Num texto bastante longo, Parrachita fala da entrevista a Lula da Silva e do programa Sexta às 9:

Ontem à noite, a RTP transmitiu uma entrevista com o presidiário Lula da Silva que teve lugar na cadeia onde ele está apodrecendo, em Curituba. Ou seja, a emissora de televisão gerida e controlada pelo Estado português, uma emissora que é sustentada pelos impostos dos contribuintes do meu país, resolveu enviar ao Brasil um jornalista pago com o meu dinheiro para entrevistar um ladrão da pior espécie, um criminoso condenado em Segunda Instância, sobre o qual continuam pendendo ainda mais seis processos de corrupção e lavagem de dinheiro que continuam aguardando julgamento!!!
Antes de mais, como é que é possível que um ladrão encarcerado, possa conceder entrevistas a orgãos de comunicação social? Será que a seguir o jornalista Paulo Dentinho vai entrevistar algum pedófilo preso na cadeia de Bangu, um assassino de mulheres detido numa choça de São Paulo, ou um ladrão de velhinhos numa pildra de Porto alegre?
A RTP, uma estação de televisão completamente dominada pelo Partido Socialista (a suspensão do programa “Sexta Às Nove”, da jornalista Sandra Felgueiras, nas vésperas das eleições, é mais uma prova disso mesmo) uma estação de televisão cuja Directora de informação (pasme-se) é familiar do actual Primeiro Ministro de Portugal, prefere entrevistar um criminoso justa e devidamente condenado, que foi ex-presidente do Brasil, do que entrevistar o actual presidente daquele país que foi democraticamente eleito pela esmagadora maioria do povo brasileiro!!! Isto só visto, porque contado ninguém acreditaria!
Durante a referida entrevista, o criminoso Lula da Silva afirmou-se inocente, ofendeu o presidente Jair Bolsonaro, contou um rol de mentiras sobre o mesmo e acusou Sérgio Moro, ex-juiz e actual Ministro da Justiça do Brasil, de ser um mentiroso, entre outras barbaridades regurgitadas na Cara de Paulo Dentinho!!!
Se eu estivesse nos sapatos do Bolsonaro, cortaria de imediato as relações diplomáticas com o governo português e no seguimento da sua maravilhosa e hilariante recusa em assinar e ratificar o Prémio Camões que Portugal resolveu atribuir ao comunista/milionário Chico Buarque, só para ser mais fofinho, negaria ainda qualquer tipo de financiamento público brasileiro para encher mais os bolsos desse cantor socialista/caviar!

“Sexta às 9” não foi suspenso, nem o “Prós e Contras”

É mentira!

Eduardo Cintra Torres, comentador da CMTV, acusa Maria Flor Pedroso de ter cancelado dois programas: “Sexta às 9” e “Prós e Contras” mas, tudo não passa de uma falsa afirmação por parte do crítico de TV.

Prós e Contras, tal como Fátima Campos Ferreira já tinha anunciado há várias semanas, regressa em outubro. O mesmo acontece com o programa “Sexta às 9”, tal como a Directora de Informação da RTP fez questão de explicar: “Houve e continuará a haver ajustes de programação em função da cobertura da campanha eleitoral. Todas as alterações foram articuladas com os responsáveis dos vários programas”

Ao nosso site, fonte próxima da RTP garante que há “um grupo de jornalistas” da estação pública que quer fazer “a folha” a Maria Flor Pedroso.

A mesma fonte conta ainda que “alguns desses jornalistas fizeram parte da anterior direcção” de informação liderada por Paulo Dentinho , e são eles que estarão por detrás “destes boatos” com objectivo de fazer “cair a direcção da Flor.”

Paulo Dentinho ia acabar com o PRÓS E CONTRAS

“Quem quis acabar como programa da Fátima Campos Ferreira foi o Paulo Dentinho. A Maria Flor Pedroso bateu o pé e não deixou acabar com o Prós e Contras” – diz a mesma fonte

“Estas coisas não se decidem do dia para a noite. Tudo foi articulado com tempo e ambos os programas regressam no próximo mês”, conclui a fonte ouvida pelo nosso site

A Directora de Informação desmente ” a suspensão de qualquer programa sob sua responsabilidade “, garantiu à TV7 Dias

Desde que tomou posse, Maria Flor Pedroso tem tido um grupo de jornalistas que contestam a sua direcção, entre eles “o jornalista Vitor Gonçalves”.