Serenella Andrade apresentava programa líder de audiências, mas foi afastada!

A apresentadora da RTP era o rosto habitual do programa “Factura da Sorte”, exibido todas as quintas-feiras, pelas 18h50, sendo habitualmente líder de audiências, vencendo a SIC e a TVI, entregando a liderança à RTP1.

Desde 6 de agosto de 2020, que a “Factura da Sorte” deixou de ter apresentadora e passou a ser exibida pelas 17h28, às quintas-feiras, passando a ter a duração de menos de 1 minuto, mostrando agora, apenas, o número vencedor.

Ao nosso site, fonte próxima da RTP garante que Serenella Andrade “foi afastada do ecrã, por ordens vindas do outro lado de Lisboa”, começou por dizer.

A mesma fonte conta que “Desde que dois ou três parasitas se infiltraram e tomaram conta da RTP, em 2015, um dos objectivos era aniquilarem os profissionais de apelido Andrade e não só. Repare, aquilo que fizeram ao Hugo Andrade foi desumano (Foi exonerado do cargo de director de programas, numa altura que a RTP1 tinha recuperado as audiências, lutando com a TVI pelo segundo lugar). Meteram-no num ´buraco´, isolado a fazer não-sei-o-quê, depois mandaram-no para a rádio, para a RDP Internacional e por aí se manteve até haver ordens para acabar com o seu programa na rádio. Vi, e mais pessoas viram, uma autêntica perseguição aos Andrades, que sempre foram e são profissionais honestos e dos melhor que a RTP já teve.”

O afastamento de Serenella Andrade do pequeno ecrã surgiu numa altura em que entregava a liderança das audiências à RTP1: “Era o único formato que ela apresentava no canal, e com uma liderança inegável nas audiências e, olhe só, mesmo assim foi aniquilada por ordens vindas do outro lado”.

E as ordens vindas do outro lado, de quem são? A resposta foi clara: “do Nuno Artur Silva” ( actual Secretário de Estado e ex-administrador da RTP, entre 2015 a 2018, e que saiu em conflito de interesses). “Olhe, o José Rodrigues dos Santos é outro alvo que, se ele pudesse, já tinha abatido” , acrescenta a mesma fonte

“Nesse período, que começa em 2015, o Nuno Artur Silva e o Daniel Deusdado, com a conivência do Gonçalo Reis, fizeram grandes estragos na RTP. Olhe, por exemplo, meterem os amiguinhos todos lá, enquanto os bons profissionais , que fazem parte dos quadros da RTP, ficaram na prateleira. Contratos com empresas de amigos que custaram milhões aos contribuintes e esses projectos quase não tiveram público a assistir … A Filomena Cautela, o Pedro Fernandes e a Sílvia Alberto eram os meninos bonitos do Nuno Artur Silva, e eram sempre chamados para os novos programas e emissões especiais, A Tânia Ribas de Oliveira, a Catarina Furtado, o Malato e o Zé Pedro Vasconcelos, por exemplo, ainda sofreram nas mãos desses senhores, a sorte foi o público gostar deles e fazerem barulho… enfim, foi um pesadelo e, infelizmente, esse pesadelo ainda não acabou. Ele continua com poder na RTP e esta nova administração veio já com o rumo definido”, remata a mesma fonte

3 thoughts on “Serenella Andrade apresentava programa líder de audiências, mas foi afastada!

Add yours

  1. Rtp memória não devia acabar
    É pena que estes senhores,não tenham Memória dos bons programas que que este canal nos proporciona.
    Concordo com o acabar com as touradas

  2. Somos um povo “manso” e é por isso e só por isso, que estes merd.. fazem o que querem. Democracia?! não faz parte do vocabulário destes senhores pequeninos…

  3. Estou perplexa pela notícia… sempre penso, quando deixamos de ver um determinado apresentador, que será por mudança de responsabilidades, nunca por má intenção, mas infelizmente, de injustiças e preferências existem em todo o lado, é de lamentar!!

Deixa o teu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑