Afinal quem é Jorge Martinez – "Os meus maiores inimigos estão na RTP Porto" | COM VÍDEOS!

Na TVI participou no polémico programa “Vidas Reais” apresentado por Rui Vasco Neto:

Participou no programa “SIC 10 Horas” da SIC:

Participou também noutro programa da SIC, “Alô Portugal”:

Na RTP, no programa “Portugal Sem Fronteiras”:

Participou em Galas:

No “5 Para a Meia-Noite” da RTP:

Cantou hinos de apoio à Selecção portuguesa de Futebol:

Em 2018 deu uma entrevista ao Jornal Audiência, onde arrasou a RTP Porto, ao acusar a delegação da estação pública de tentar “assassinar a sua carreira”.

“Os meus maiores inimigos estão mesmo à porta de casa, da RTP do Monte da Virgem, que me tem bloqueado há décadas. É a mais pura verdade. É uma vergonha monumental, desde o tempo em que mostrei ao país como ia ser o futuro … Estou a falar de um grupo musical, ao qual deveriam erguer uma estátua, o “Jorge Rocha & Lipstick”, por tudo o que representaram no desenvolvimento das políticas de palco e do espetáculo em Portugal. Foi um fenómeno incomparável mas… para as mentes atrasadas da época, foi como uma afronta, e como tal, até hoje, vingam-se de forma vergonhosa, não permitindo que me apresente na RTP do Norte. Isto é ilegal e esta gente merece ser desmascarada de vez. Tentaram assassinar a minha carreira mas falharam!”, disse

Na mesma entrevista, Jorge Martinez deixou farpas ao vencedor do Festival Eurovisão da Canção, Salvador Sobral e a José Cid:

“Num país onde um músico (José Cid) insulta as pessoas do Minho e Trás-os-Montes, e é levado ao colinho, e coitadinho se não tiver um tacho, ano após ano no Festival da Canção, para ele, ou para os familiares, é incrível… só não percebo como é que não lhe oferecem um espelho, para ver realmente quem é medonho e horroroso. Num país, onde um iluminado tem a felicidade de ganhar a Eurovisão (Salvador Sobral), passando a insultar tudo e todos, e a falar em peidar-se publicamente perante todas as televisões, Presidente da República, Portugal inteiro, num espetáculo em direto, de homenagem aos mortos no incêndio brutal de Pedrógão Grande, e continuar a ser levado ao colinho pelos media, é no mínimo inconsciente e inqualificável. Num país onde se achavam os maiores, por terem ganho a Eurovisão, em 52 edições uma única vez… e que o espetáculo (performances – fireworks – encenações, etc) deveria acabar… estou a falar obviamente de alguém que tem uns neurónios a menos, pensavam que a Europa estava a dormir. A resposta foi colocar Portugal no seu devido lugar, o último! Num país onde não me deixam sequer concorrer ao Festival, note-se bem, sou impedido de concorrer no meu próprio país, acho que já diz tudo. Isto para realçar que o ataque de que sou vítima ao longo de décadas é criminoso.”, disparou

E é assim que se apresenta para quem ainda não o conhece:

Para quem não conhece, quem é o Jorge Martinez?
Um autêntico best-seller diria. Apresentado e considerado para muitos um mito, uma lenda viva, ou um outsider, um animal de palco fora de série, único, brutal! Mas além da música, tive outras paixões na minha vida. Fui Jogador de Futebol no Vilanovense F.C., modelo de passerelle, cabeleireiro com shows nos casinos nas apresentações das linhas moda e apresentei, pela primeira vez em Portugal, no Teatro Sá da Bandeira, no Porto, a recreação mímica em bailado da Ópera Rock Jesus Christ Superstar (interpretando o papel de Jesus Cristo). Tenho mais de 12 anos como bailarino, sendo que estudei dança em Londres no Dance Center e Pineapple School (dança jazz, clássico, acrobático, sapateado Americano/tap-dance). Além disso, fui professor de dança no Sport Club do Porto e o coreógrafo profissional português mais jovem registado na SIARTE, Lisboa. Fui também diretor de ballets ingleses (Lipstick), filipinos (Hollywood Star Show) e portugueses, além do criador do primeiro duo de bailado em Portugal, o “Duo White Fire”, uma atração em todos os Casinos nacionais e na Europa central e televisões. Tive convites para todo o mundo, e era pretendido pelos maiores cantores portugueses da altura, tendo igualmente atuado para o Presidente da República, General Ramalho Eanes, no Teatro São Luís em Lisboa. Tive também aulas de canto em Windsor/Londres, com o cantor Vernon Nesbeth e depois seguem-se 29 anos de carreira como cantor profissional, performer, compositor, letrista, produtor, realizador, ator, cenografista, editor fotografia e vídeo e film maker de curtas-metragens e longa-metragem. IN, Jornal Audiência

Deixa o teu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s