“Ele Há Coisas” – artigo de opinião | Temporada VI

Ele Há Coisas – aqui há opinião!

A rubrica de opinião da VOX POP TV está de volta! Esta é a sexta temporada que tem como destaque a RTP, SIC e TVI.

RTP

  • José Fragoso tem conseguido levantar a RTP na área da programação, que a dupla Daniel Deusdado/Nuno Artur Silva tinha destruído. Vai indo, nem sempre bem, é certo, mas tivesse o canal público seguido a linha de programação que Hugo Andrade delineou e teríamos, certamente, hoje, uma RTP bem mais sólida.
  • Apesar de todas as polémicas que tiveram na informação da RTP, Maria Flor Pedroso, Cândida Pinto e Helena Garrido conseguiram, num ano, levantar as audiências dos noticiários do Canal 1, colocando-os no segundo lugar no horário da uma da tarde e das oito noite, e até a RTP Notícias bateu recordes, depois de um percurso no deserto e de fracas audiências na era de Paulo Dentinho. Isso foi mérito da direcção de Maria Flor Pedroso. Agora, em relação às polémicas, quase que ia tudo por água abaixo… foi por pouco! A esperança reside agora em António José Teixeira que deveria começar a pensar em mudar o cenário e o grafismo da informação do canal público. É urgente essa mudança. Faz falta. É necessário.
  • José Fragoso continua, inexplicavelmente, a não saber aproveitar o talento de José Pedro Vasconcelos. Atira o programa “Depois Vai-se a Ver e Nada” para perto da meia-noite, jogando-o aos lobos. Zé Pedro não merecia e os portugueses bem o têm dito, pois gostam muito dele e reconhecem-lhe todo o talento, mas só o director de programas teima em não ver o que é tão óbvio e tão claro como a água.
  • “A Nossa Tarde” vai funcionando porque é uma cópia daquilo que a SIC e a TVI fazem nos seus talks shows. O choradinho lá vai aparecendo no programa apresentado por Tânia Ribas de Oliveira. E até o cenário é uma casa … onde é que já vimos isto? Pois … assim, é óbvio que pega…!
  • Se há pivot de informação que merecia mais é Hélder Silva. De vez em quando desaparece do Jornal da Tarde durante semanas mas quando volta, tudo fica melhor. Tem brio, tem uma voz inconfundível, sabe fazer, sabe falar, com uma dicção irrepreensível, oxalá tivesse o reconhecimento de que merece.

SIC

  • Daniel Oliveira nem sempre acerta mas, só o facto de se lembrar de chamar os nossos consagrados actores para as telenovelas da SIC já por si merece um grande aplauso. Isto é de se lhe tirar o chapéu. Ainda há muitos artistas que o Daniel Oliveira pode e deve resgatar, porque merecem. Que se lembre, por exemplo, de Florbela Queiroz, que tanto merece esse reconhecimento. Com o Daniel Oliveira ainda há esperança para os nossos Grandes.
  • Cristina Ferreira segue para o segundo ano com a SIC ao peito, com um cenário novo e líder de audiências. Pelo meio vai cometendo uns excessos, talvez por excesso de confiança, ou talvez por achar que pode fazer tudo em televisão… mas não, não pode. Ninguém pode fazer tudo o que quer em televisão, muito menos tudo aquilo que lhe passa pela cabeça. Os excessos pagam-se caros … mais cedo ou mais tarde pagam-se … Cuidado Cristina!
  • Amigos Improváveis é mais um flop de audiências da era de Daniel Oliveira. A ideia até é boa, mas mal concretizada. Não convence e por isso mesmo não consegue chegar à liderança, mesmo apimentando as emissões com alguns incidentes.
  • As contratações milionárias continuam na SIC, num canal onde a saúde financeira ainda não é a melhor. Compensará? O tempo o dirá.

TVI

  • Felipa Garnel saiu sem glória da direcção da TVI. Chegou à TVI sem nada preparado, numa altura difícil, é certo. Mas quando decidiu, decidiu mal. Encheu os finais de noite do canal com repetições de várias telenovelas e o resultado era óbvio. Mesmo em tempo de contenção de dinheiro, ela tinha tantas outras saídas para aquele horário. Nunca seria uma escolha óbvia para ocupar um cargo daquela dimensão, numa altura dificilíssima para a TVI. Daí não ter aquecido o lugar.
  • Nuno Santos chegou no início do ano à TVI, substituiu Felipa Garnel e, naturalmente, tem mais tarimba para o lugar de director da TVI. Devolver a liderança à TVI não vai ser tarefa fácil mas não é impossível. Para já conseguiu passar uma rasteira à RTP, roubando-lhe o Euro 2020, exibindo todos os jogos da Selecção Nacional onde estará Cristiano Ronaldo, neste que será, talvez o seu último europeu como jogador.
  • A ficção da TVI tem bons actores, inovou, arriscou e mostrou telenovelas com temas mundiais. Nem sempre os telespectadores sabem reconhecer isso, é pena. Vem aí uma nova era nas telenovelas da estação de Queluz de Baixo mas, há muito para fazer e voltar a conquistar o público.
  • Manuel Luís Goucha caiu. Perdeu um ano inteiro para a sua rival da SIC. O “Você na TV” bate recordes negativos nas audiências. Isto só prova que só ele não chega. Faz lembrar os tempos em que trocou a RTP pela TVI e registava audiências medíocres. Na altura justificava as fracas audiências na TVI com a desculpa de que não teve oportunidade de se despedir dos telespectadores na RTP e por isso o público estava a castiga-lo. E agora, qual é a justificação Goucha? Pois …

A opinião de: Sebastião Cunha de Sá (comentador convidado)

Deixa o teu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s