Isabel Wolmar (1933-2019): Reacção de Marcelo Rebelo de Sousa

Morreu a voz da RTP

Isabel Wolmar morreu este domingo e não param de chegar mensagens de homenagem à apresentadora da RTP que todos, ou quase todos, conheciam só pela sua voz.

“Envio as minhas condolências à família e amigos de Isabel Wolmar, pioneira na rádio e na televisão portuguesa, e para sempre presente na memória de todos os portugueses.

Uma mulher extraordinária, talentosa e aventureira, foi locutora, apresentadora, repórter, produtora, atriz de teatro e cinema, recitou e escreveu poesia, fez dobragens de vozes para desenhos animados, mas tinha também talento para a dança, para o canto, para a gastronomia, até para os ralis de automóveis, tendo sido mesmo uma das primeiras mulheres a alcançar o pódio numa modalidade onde era pouco habitual a presença feminina”

O presidente da República recordou que a antiga apresentadora da RTP “recebeu o prémio Bordalo da Casa da Imprensa para melhor locutora e apresentadora”, e que “também foi reconhecida pelos seus artigos e entrevistas no Jornal de Notícias”.

Marcelo Rebelo de Sousa termina dizendo que “nos últimos anos – Isabel Wolmar – dedicou-se à poesia e, sobretudo, aos contos infantis, mantendo sempre o contacto com público de todas as gerações. É, aliás, esta presença constante, a par de uma inquebrantável alegria de viver, que fazem de Isabel Wolmar uma mulher admirável e um extraordinário exemplo de multifacetado profissionalismo”

ÚLTIMA HORA: Júlio Isidro reage à morte de Isabel Wolmar

Morreu Isabel Wolmar

Júlio Isidro acaba de reagir à morte da antiga apresentadora da RTP.

É no seguinte texto, que Isidro

” O QUE A VIDA MUDA.
E também o fim da vida.
A minha querida Isabel Wolmar deixou-nos há duas horas e “obrigou-me” a mudar o Inesquecível de hoje.
Isso não se faz querida Isabel, a mim que estou à espera que me mandes as histórias infantis que escreveste para eu meter a voz no CD que vai acompanhar o livro.
A Isabel que eu acreditava eterna, depois de tantos acidentes e doenças gravíssimas, sobrevivendo sempre com um sorriso.
Terá sido esse o motivo porque a sua biografia se chama “A vida com um sorriso”.

Uma vida como a da Isabel, onde a única paragem só poderia ser o esfriar das mãos que lhe aconteceu na companhia desse filho que nunca teve, o Henrique Feist.
Foi durante muitos anos a “bombeira de serviço da RTP”, porque fazia de tudo, até limpar o estúdio , eu que pensava que tinha sido original quand
o um dia disse que até seria capaz de o varrer porque vedetas, só as de trazer por casa.
A Isabel Wolmar foi a segunda locutora da RTP a seguir a Maria Helena Fialho Gouveia, companheira da Maria Fernanda e da Maria Manuela Fonseca mãe do Nuno Feist e do Henrique.
Da fundação desta maravilhosa aventura que foi e tem sido a RTP, resistem três Marias, bastiões de uma memória que tanta leviandade tenta esquecer.
Hoje, há duas horas, o quarteto das meninas que nos davam boa tarde e se despediam com boa noite e bons sonhos, perdeu um sorriso.
A Isabel Wolmar foi apresentadora do primeiro talk show na televisão portuguesa, “A minha vida dava um filme”.
O fim chegou , apesar de tudo um Happy End para quem viveu tanto e fez tanto na música, no teatro, cinema, publicidade, rádio e televisão.
Fico à espera dos textos para ler as últimas histórias que escreveste para crianças. Até já.
INESQUECÍVEL COM ISABEL WOLMAR, FEVEREIRO DE 2017.
HOJE ÁS 18 HORAS NA RTP MEMÓRIA. “
. escreveu

A ÚLTIMA ENTREVISTA:

Esta foi aúltima entrevista que deu na televisão. Foi no programa “Agora Nós” da RTP1, na rubrica “Agora Memórias” que Serenella Andrade conduzia nas tardes da estação pública, uma vez por semana:

http://media.rtp.pt/agoranos/artigos/isabel-wolmar-recorda-percurso-na-rtp