Júlio Isidro escreve texto sobre Dina (1956-2019)

Júlio Isidro homenageia Dina

É através de um longo texto que o apresentador da RTP se despede da cantora Dina que morreu na noite de quinta-feira.

Leia agora o texto na íntegra::

QUANDO NA HORA DA PARTIDA ,CHEGAM AS MEMÓRIAS.
Os tributos, os elogios, os lenços a acenar, as palmas tardias e as lágrimas até.
E porque não tudo isso quando se está cá ?

A Dina saiu de cena muito antes do dia em que morreu porque o esquecimento é uma forma de morte.

Brava, corajosa,foi dizendo que não ao mal que lhe tirava o ar até à rendição final. E a sua música está agora no ar para ficar ou o silêncio é já depois de amanhã?

Haverá sempre entre mim e a Dina, uma ligação feita de música e sorrisos.Grandes músicas e sorrisos abertos no palco do cinema Nimas onde acontecia essa aventura radiofónica que se chamou Febre de Sábado de Manhã.

Casa a abarrotar de pessoal da pesada, a ser apresentado a uma tal Dina pequenina no corpo e enorme na energia, que arrebatou com o seu “Pássaro louco”.

Mas antes deste começo tinha havido outro. A Dina a cantar letras do Júlio Isidro com músicas do João Henrique para o meu programa infanto-juvenil Arte & Manhas.
E antes , ainda antes, a cantar no Fungagá da Bicharada na sua terceira edição.
Por isso há e haverá sempre, “Música entre nós”.
Vale a pena viajar no tempo de outras músicas e outras rádios para recordar o coro de dependentes da Febre com a Dina gigantesca, de viola na mão a reger: – Não chores não, acorda a voz, cantaremos até o dia nascer!

Era uma inspirada compositora, na pop rock ou em baladas que ainda hoje embalam.
Fica “Guardado em mim” o festival de 80 que para ela foi só oito, tal o lugar em que se quedou a canção. Mas depois, e como acontece tantas vezes com as perdedoras nos votos, veio o sucesso em disco e por tantos palcos.

A Dina passava da doçura do “Gosto do teu gosto” para a explosão do seu “Dinamite” num acorde da guitarra, levando consigo um público que lhe tinha carinho.
Foram anos a escrever cantigas e a mostrá-las em disco ou concertos, construindo um património que vale a pena ouvir em estreia, ou rebobinar e recordar, para se lhe atribuir o valor que se foi perdendo na voragem do preconceito e dos chamados novos tempos.

A Dina no Festival da Canção de 1992 ofereceu-nos um “Amor de água fresca”, letra com cheiro e sabor de amor saudável, numa parceria com Rosa Lobato Faria.
Para além do prémio e da fama que arde e queima sem se ver, a canção recebeu a compensação mais ambicionada por quem está nestas artes.

A Dina no Festival da Canção de 1992 ofereceu-nos um “Amor de água fresca”, letra com cheiro e sabor de amor saudável, numa parceria com Rosa Lobato Faria.
Para além do prémio e da fama que arde e queima sem se ver, a canção recebeu a compensação mais ambicionada por quem está nestas artes.

Tantos anos depois, há jovens a cantar o : – Vem cá tenho sede, quero o teu amor de água fresca. Peguei, trinquei e meti-te na cesta”- gente que nem sabe quem foi a Dina mas que lhe conhece os acordes.

Dar lugar aos novos, para quem como ela se renovava em cada canção, foi mais uma vez o pretexto moralista e consumista para o seu apagamento da cena num gesto tão comum entre nós. Com estes e tantos outros actos de auto-mutilação, se vão desfazendo traços da nossa cultura popular.

A doença lenta mas inexorável, foi-lhe tirando o ar, mas não a vontade de continuar a escrever canções.

Anos depois, há jovens a cantar o : – Vem cá tenho sede, quero o teu amor de água fresca. Peguei, trinquei e meti-te na cesta”- gente que nem sabe quem foi a Dina mas que lhe conhece os acordes.
Dar lugar aos novos, para quem como ela se renovava em cada canção, foi mais uma vez o pretexto moralista e consumista para o seu apagamento da cena num gesto tão comum entre nós. Com estes e tantos outros actos de auto-mutilação, se vão desfazendo traços da nossa cultura popular.

A doença lenta mas inexorável, foi-lhe tirando o ar, mas não a vontade de continuar a escrever canções.

Estão guardadas na sua casa , agora vazia, mas espera-se que um dia surjam num álbum do tributo que ela merece.

A Dina despediu-se em termos de televisão num encontro que valeu por uma vida, no Inesquecível da RTP Memória. Foi em 2016, dias antes de dois espectáculos para cair o pano, onde participaram jovens músicos que a descobriram e à sua música.. Ainda cantou discretamente assim como quem diz adeus baixinho

A notícia da sua partida também me tirou o ar do peito.
Mais um sensação de vazio, mais um página de vida a menos.

Agora recordo-a a sorrir e em dueto com Carlos Paião em 1988, na canção “Quando as nuvens chorarem”.

Nesta canção, o Carlos preconizava o dia, sempre igual e inevitável para todos, do reencontro :- Não chores, se o tempo não ri. Ficarei a teu lado, esperando por ti.”

Rui Mendes escreve carta sobre o Teatro

Rui Mendes e o Teatro

O consagrado actor escreveu uma carta onde fala do Teatro:

“O teatro: morrer e nascer todas as noites

Teatro é paixão. Se não, não é teatro. Teatro é amar os outros. Se não, não é teatro. Pode até ser fé, mas não uma religião, pois não pode defender a exclusão e o ódio, como as religiões muitas vezes têm feito. Precisamos do teatro como precisamos de respirar. Nós os do teatro e nós os do público. Todos. E se, por vezes, nos vai faltando esse ar puro, o ar respirável, isso não será também por culpa nossa?

Quando, por inércia, comodismo ou desistência, deixamos de respirar, é porque já estamos a morrer. Mas há sempre alguém que começa a respirar em vez de nós, algures noutro lugar deste mundo em que vivemos, e por isso não morremos nunca. Por cada um que desiste, dez avançam para o seu lugar. Não nos vão vencer, mesmo quando nos querem cortar o oxigénio.

E se algum dia se puder dizer que este mundo, aqui ou ali, nisto ou naquilo, está melhor, ninguém duvide de que o teatro pode ter tido alguma responsabilidade nisso. O contrário é que já não é certamente verdade. Se não, não é teatro. Por isso é que continuamos a respirar e a fazer teatro. E a ver teatro. E será talvez por isso que há quem queira que o não façamos. Há quem tenha medo de um mundo melhor.

Quando, no Maio de 68, alguém disse “O Teatro ao Poder”, não era que o teatro quisesse tomar o poder. Podemos ter vários defeitos, mas esse não. O que queremos é que nos dêem o respeito a que temos direito e que não nos cortem o oxigénio. E, senhores do poder, por favor não se convençam de que apoiar as actividades culturais tira votos nas eleições.

Há muita, muita gente para quem respirar não é apenas sobreviver. Pensem no exemplo do Reino Unido nos anos 1940, quando Churchill entendeu que, se não aumentasse o apoio à Cultura, não valia a pena estar a gastar mais orçamento para derrotar Hitler.

Rui Mendes, actor e encenador”

Os Melhores do Ano – 2018: lista de vencedores e percentagens de todos os nomeados

A VOX POP TV levou a cabo, mais um ano, os Prémios d´Os Melhores do Ano onde, nesta edição, incluiu novas categorias onde deu destaque à Rádio.

Nestes Prémios, damos voz aos portugueses para elegerem os profissionais da rádio e da TV. São eles que decidem os vencedores.

São os prémios atribuídos pelos telespectadores e ouvintes que mais estimulam os profissionais destas duas áreas, pois afinal de contas são eles que são os melhores júris.

Conheça agora a listas de vencedores da edição deste e as percentagens que cada nomeado alcançou nas diversas categorias:

Categoria: Melhor Apresentador de Televisão

  • José Pedro Vasconcelos, RTP 55% – VENCEDOR
  • Eiró, CMTV 5%
  • José Figueiras, SIC 9%
  • Manuel Luís Goucha, TVI 31%

Categoria: Melhor Apresentadora de Televisão

  • Tânia Ribas de Oliveira, RTP 59% – VENCEDORA
  • Bárbara Guimarães, SIC 5%
  • Leonor Poeiras, TVI 30%
  • Maya, CMTV 6%

Categoria: Melhor Dupla de Apresentadores

  • Tânia Ribas de Oliveira e José Pedro Vasconcelos, RTP 50% – VENCEDORES
  • Júlia Pinheiro e João Paulo Rodrigues, SIC 8%
  • Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira, TVI 39%
  • Maya e Nuno Eiró, CMTV 3%

Categoria: Melhor Jornalista/Reportagem em Directo

  • Rita Marrafa de Carvalho, RTP 69% – VENCEDORA
  • Diogo Torres, SIC Notícias 18%
  • Tânia Laranjo, CMTV 13%

Categoria: Melhor Jornalista em Reportagem de Investigação

  • Sandra Felgueiras, RTP 40% – VENCEDORA
  • Sofia Pinto Coelho, SIC 12%
  • Ana Leal, TVI 37%
  • Alexandra Borges, TVI 11%

Categoria: Melhor Jornalista/Pivot Informativo da 00h00

  • Sandra Sousa, RTP3 41% – VENCEDORA
  • Sara Pinto, SIC Notícias 30%
  • João Póvoa Marinheiro, TVI 29%

Categoria: Melhor Jornalista/Pivot Informativo das 21h00

  • João Fernando Ramos, RTP2 25%
  • Cristina ESteves, RTP3 19%
  • Pedro Mourinho, SIC Notícias 30% – VENCEDOR
  • Pedro Pinto, TVI24 26%

Categoria: Melhor Jornalista/Pivot Informativo das 20h00

  • João Adelino Faria, RTP 29%
  • Rodrigo Guedes de Carvalho, SIC 30%
  • José Alberto Carvalho, TVI 32% – VENCEDOR
  • José Carlos Castro, CMTV 4%
  • Júlio Magalhães, Porto Canal 5%

Categoria: Melhor Jornalista/Pivot Informativo das 13h00

  • Hélder Silva, RTP 48% – VENCEDOR
  • Bento Rodrigues, SIC 32%
  • Cristina Reyna, TVI 12%
  • Andreia Vale, CMTV 8%

Categoria: Melhor Jornalista/Pivot Informativo da Manhã

  • Carla Trafaria, RTP 40% – VENCEDORA
  • João Moleira, SIC 24%
  • Patrícia Matos, TVI 36%

Categoria: Melhor Jornalista/Pivot Feminina – Canal de Notícias

  • Marta Atalaya, SIC Notícias 23%
  • Paula Magalhães, TVI24 25%
  • Dina Aguiar, RTP3 52% – VENCEDORA

Categoria: Melhor Jornalista/Pivot Masculino – Canal de Notícias

  • António Esteves, RTP3 39% – VENCEDOR
  • João Moleira, SIC Notícias 30%
  • Pedro Carvalhas, TVI24 23%
  • Francisco Penim, CMTV 8%

Categoria: Melhor Jornalista/Apresentadora

  • Fátima Campos Ferreira, RTP 31%
  • Clara de Sousa, SIC 42% – VENCEDORA
  • Judite Sousa, TVI 22%
  • Ana Guedes Rodrigues, Porto Canal 5%

Categoria: Melhor Jornalista/Correspondente Feminina

  • Daniela Santiago (Espanha), RTP 48% – VENCEDORA
  • Rosário Salgueiro (França), RTP 25%
  • Ivani Flora (Brasil), SIC 27%

Categoria: Melhor Jornalista/Correspondente Masculino

  • José Manuel Levy (Angola),RTP 26%
  • Luís Costa Ribas (EUA), SIC 46% – VENCEDOR
  • Pedro Moreira (Bélgica), TVI 28%

Categoria: Melhor Jornalista/Correspondente Rádio

  • Andrea Neves (Bruxelas), Antena1 – RTP 53% – VENCEDORA
  • João Francisco Guerreiro, TSF 23%
  • Vasco Granda, Rádio Renascença 24%

Categoria: Melhor Programa/Rubrica de Informação de Reportagem

  • Sexta às 9, RTP1 52% – VENCEDOR
  • Vidas Suspensas, SIC 17%
  • SOS 24, TVI24 24%
  • Rua Segura, CMTV 7%

Categoria: Melhor Programa de Informação Desportiva

  • Trio D´Ataque, RTP3 46% – VENCEDOR
  • O Dia Seguinte, SIC Notícias 15%
  • Prolongamento, TVI24 29%
  • Pé em Riste, CMTV 10%

Categoria: Melhor Jornalista/Repórter Feminina

  • Margarida Neves de Sousa, RTP 42% – VENCEDORA
  • Conceição Queiroz, TVI 31%
  • Tânia Laranjo, CMTV 9%
  • Joana Latino, SIC 18%

Categoria: Melhor Jornalista/Repórter Masculino

  • José António Pereira, RTP 28%
  • Diogo Torres, SIC 41% – VENCEDOR
  • Marco António, TVI 18%
  • Nuno de Sousa Moreira, CMTV 13%

Categoria: Melhor Jornalista de Desporto

  • Manuel Fernandes Silva, RTP 43% – VENCEDOR
  • Paulo Garcia, SIC 18%
  • Joaquim Sousa Martins,TVI 39%

Categoria: Melhor Comentador Desportivo

  • José Nunes, RTP 43% – VENCEDOR
  • Rui Santos, SIC 17%
  • Paulo Catarro, TVI 25%
  • Paulo Futre, CMTV 15%

Categoria: Melhor Programa de Entretenimento

  • O Preço Certo, RTP 57% – VENCEDOR
  • Casados à Primeira Vista, SIC 14%
  • Apanha Se Puderes, TVI 29%

Categoria: Melhor Programa da Tarde

  • Agora Nós, RTP 54% – VENCEDOR
  • Juntos à Tarde, SIC 13%
  • A Tarde é Sua, TVI 33%

Categoria: Melhor Programa da Manhã

  • Praça da Alegria, RTP 15%
  • Queridas Manhãs, SIC 31%
  • Você na TV, TVI 41% – VENCEDOR
  • Manhã CM, CMTV 13%

Categoria: Melhor Repórter Talk Show da Manhã

  • Idevor Mendonça, RTP 32%
  • Luís Maia, SIC 26%
  • Bruno Caetano, TVI 42% – VENCEDOR

Categoria: Melhor Apresentadora/Revelação

  • Diana Chaves, SIC 61% – VENCEDORA
  • Isabel Silva, TVI 39%

Categoria: Melhor Apresentador/Revelação

  • Cláudio Ramos, SIC 46%
  • Ruben Rua, TVI 54% – VENCEDOR

Categoria: Melhor Actor Português/Jovem

  • Pedro Barroso 65% – VENCEDOR
  • Diogo Martins 13%
  • António Camelier 6%
  • Tiago Aldeia 16%

Categoria: Melhor Actriz Portuguesa/Jovem

  • Ana Guiomar 65% – VENCEDORA
  • Ana Sofia Martins 24%
  • Herédia 11%

Categoria: Melhor Actor Português/Sénior

  • António Cordeiro 29%
  • Sinde Filipe 14%
  • Vitor Norte 57% – VENCEDOR

Categoria: Melhor Actriz Portuguesa/Sénior

  • Ana Zanatti 26%
  • Florbela Queiroz 52% –VENCEDORA
  • Márcia Breia 22%

Categoria: Melhor Repórter de Imagem

  • Carlos Pinota, RTP 36% – VENCEDOR
  • Rui do Ó, SIC 26%
  • Ricardo Silva, TVI 25%
  • Tiago Abrantes, CMTV 13%

Categoria: Melhor Reportagem

  • “Veneno Selvagem” de João Oliveira, RTP 44% – VENCEDORA
  • “A vida “destruída” de Paco Bandeira” de Sofia Pinto Coelho e Ribeiro Cristovão, SIC 21%
  • “Senhor Traveca” de Emanuel Monteiro, TVI 35%

Categoria: Melhor Programa de Informação Cultural

  • Cartaz Cultural, SIC 24%
  • Autores, TVI 23%
  • Inesquecível, RTP Memória 26%
  • As Horas Extraordinárias, RTP3 27% – VENCEDOR

Categoria: Melhor Canal de Informação Português

  • RTP3 25%
  • SIC Notícias 40% – VENCEDOR
  • TVI24 35%

Categoria: Melhor Informativo das 00h00

  • 24 Horas, RTP3 36% – VENCEDOR
  • Jornal da Meia-Noite, SIC Notícias 31%
  • 25ª Hora, TVI24 33%

Categoria: Melhor Informativo das 21h00

  • Jornal 2, RTP2 17%
  • 360, RTP3 19%
  • Edição da Noite, SIC Notícias 26%
  • 21ª Hora, TVI24 38% – VENCEDOR

Categoria: Melhor Informativo das 13h00

  • Jornal da Tarde, RTP 41% – VENCEDOR
  • Primeiro Jornal, SIC 26%
  • Jornal da Uma, TVI 27%
  • CM Jornal Hora do Almoço, CMTV 6%

Categoria: Melhor Informativo das 20h00

  • Telejornal, RTP 38% – VENCEDOR
  • Jornal da Noite, SIC 26%
  • Jornal das 8, TVI 31%
  • CM Jornal, CMTV 5%

Categoria: Melhor Informativo da Manhã

  • Bom Dia Portugal, RTP 49% – VENCEDOR
  • Edição da Manhã, SIC 18%
  • Diário da Manhã, TVI 33%

Categoria: Melhor Programa de Comentário Político

  • Quadratura do Círculo, SIC Notícias 55% – VENCEDOR
  • Prova dos 9, TVI24 45%

Categoria: Melhor Canal Generalista

  • RTP1 40% – VENCEDOR
  • RTP2 6%
  • SIC 22%
  • TVI 27%
  • CMTV 5%

Categoria: Melhor Programa do Social

  • Sociedade Recreativa, RTP 7%
  • Fama Show, SIC 40% – VENCEDOR
  • Selfie, TVI 32%
  • Flash Vidas, CMTV 21%

Categoria: Melhor Série Portuguesa

  • 3 Mulheres, RTP 28%
  • A Teia, TVI 72% – VENCEDOR

Categoria: Melhor Telenovela Portuguesa

  • Alma e Coração, SIC 47%
  • Valor da vida, TVI 53% – VENCEDORA

Categoria: Melhor Telenovela Estrangeira

  • Jesus, Record TV 35%
  • O Tempo Não Pára, Globo 55% – VENCEDORA
  • Carrossel, SBT 10%

Categoria: Melhor Rádio de Informação

  • Antena1 41% – VENCEDORA
  • Rádio Renascença 27%
  • TSF 33%

Categoria: Melhor Rádio Nacional

  • Rádio Cidade FM 5%
  • RFM 28%
  • Rádio Comercial 48% – VENCEDORA
  • Rádio Orbital 1%
  • M80 18%