Bronca: RTP acusada de transmitir série sem pagar Direitos de Autor!

Bronca!

Em causa está a série “Ministério do Tempo”.

Depois da falta de pagamento de ordenados aos actores, agora, segundo a revista TV7 Dias, quem está em “maus lençóis” é a própria RTP, tal como conta uma fonte à revista do grupo Impala:

“Ao que parece quem está em maus lençóis é a RTP. A produtora tinha de pagar os direitos da série aos espanhóis e nem isso fez. Agora Espanha está a responsabilizar o canal do Estado por esta falta de pagamento e pela emissão dos episódios sem qualquer autorização”

E acrescenta, num e-mail enviado aos seus colegas do “Ministério do Tempo”:

“trabalhei muito durante quatro meses, tive em quatro meses seis dias de folga. Nunca um dia de trabalho tinha menos de 14 horas. Ninguém me obrigou, mas durante dois meses eu sabia que a empresa não podia contratar mais ninguém, porque não havia dinheiro. Foi por isso que me matei a trabalhar, a tentar entender como se podiam rentabilizar os projectos, a cortar custos, a negociar pagamentos, a fazer contactos para product placement, para parcerias… Já sabia que o Luís Valente não era um Maurício [anterior sócio da produtora], mas é um Valente e isso não abona a seu favor.

O Luís decidiu mentir-me e tratar-me mal. Além disso, nunca me deu condições de trabalho, obrigou-me a uma equipa caríssima[…] O Luís pediu-me que lhe estruturasse uma equipa em 72 horas quando soube que o Miguel Guerreiro estava em filmagens. Sabem porquê? Porque iam vencer prazos no banco…

A RTP tinha de aceitar uma nova equipa para acalmar o banco e dar-se a desculpa de que a RTP contratou a equipa e que, por isso, havia atrasos. Nessa fase havia atrasos essencialmente porque o valor que estava destinado para equipamento não foi gasto em equipamento e isso inviabilizou as filmagens na altura em que os actores tinham agenda. Salvaguardei as disponibilidades dos actores e era possível terminar os seis episódios em outubro. Era possível se o Luís Valente cumprisse a parte dele no acordo. Tenho vencimentos em atraso, eu e a equipa contratada (…) Aos responsáveis que podem fazer algo, entreguem a série a outra produtora, porque a equipa não merece que tudo morra e porque os últimos episódios têm temáticas óptimas.

O Tomás Múrias, argumentista e grande sobrevivente do projecto, merece uma vénia porque andou a escrever em pós-operatório, e com a esposa prestes a dar à luz, para cumprir prazos”

 

Anúncios

Deixa o teu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s