“A Vida nas Carta – o Dilema”: após polémica, programa tem perdido audiência.

A-Vida-nas-Cartas.jpg

O programa das manhãs da SIC está a perder audiência, dia após dia.

A Vida nas Cartas – o Dilema” é apresentado pelas tarólogas Maria Helena e Carla Duarte.

Depois da polémica que se gerou em torno da SIC, do programa e da taróloga de serviço nessa semana, os últimos dados da Gfk revelam que o programa tem perdido telespectadores.

Se um caso está relacionado com outro, não se sabe ao certo, no entanto, as audiências do programa já não eram famosas e depois da polémica sobre os conselhos da taróloga Carla Duarte sobre o desabafo de uma vítima de violência doméstica, o programa começou a baixar a audiência ainda mais.

Esta segunda-feira, o programa registou, apenas, 0,5% de rating e 5,8% de share.

“Inesquecível” com Fernando Mendes bate recorde!

13445625_967966273271924_7448102155125947716_n.jpg

Júlio Isidro está feliz e, não é para menos!

A emissão deste fim-de-semana do seu programa, o “Inesquecível“, que recebeu Fernando Mendes como convidado principal, e as audiências subiram, fazendo o programa alcançar a sua melhor audiência.

O apresentador da RTP não ficou indiferente a mais este recorde e escreveu o seguinte texto:

PARTILHAR ALEGRIA
O Inesquecível nº 218, transmitido no sábado e no domingo na RTP Memória parecia estar condenado à aridez de audiências.
O futebol dominava a cena nos canais generalistas e em muitos de cabo.
O desporto-rei, o patriotismo levado para os relvados e as estrelas deste espectáculo, iriam dar cabo da memória, do presente e do nosso futuro pelo menos até ao fim do mês.
Pensava eu que tenho 56 anos deste ofício.
Que bom que é enganar-me e reconsiderar sobre os comportamentos dos públicos.
O Inesquecível deste fim de semana pulverizou todos os seus recordes de audiência de sempre!


Com um convidado que é um ser humano especial, direi que naquele programa se juntou a fome com a vontade de comer.
Mas que grande parelha de avançados Mendes/Isidro apoiados por um meio campo muito seguro Miguel, Lenka e Lúcia.


Não havia defesa porque jogámos sempre para a frente as memórias que vinham de trás.
Estou muito feliz porque também trabalho para as audiências desde que as a ânsia das audiências não distorçam a qualidade do trabalho.
Entre o orgulho e a vaidade vai uma grande distância.


Estou orgulhoso pela vitalidade de um programa que não dá mostras de reumatismo e pelo facto de ser parte deste projecto sempre renovado da RTP-Memória.
Agora já conquistámos carta de alforria para a RTP Internacional e …isto vai.
Vaidade não tenho, pelo que já vivi e pela noção do efémero desta vida.
Mas a memória não faz mal a ninguém e é muito mau quando ela se perde.
Hoje vou ver o Portugal-Islândia com entusiasmo mas com a certeza que a televisão é uma enorme paleta de cores que cada um usa como quer.
Obrigado aos espectadores que nos seguem.“, escreveu Júlio Isidro.

800.jpg

Luís Henrique Pereira fala sobre António Esteves Martins

11904634_879799142057266_4396913657055253252_n.jpg

O jornalista da RTP, Luís Henrique Pereira também não ficou indiferente à saída da RTP do António Esteves Martins.

Na manhã do dia de hoje, o jornalista da Vida Selvagem portuguesa escreveu o seguinte texto:

“Bom dia,
Permito-me como espectador e na qualidade de espectador, escrever também umas linhas, sobre a saída do Correspondente da RTP em Bruxelas, António Esteves Martins.

Nunca tive a oportunidade de conhecer pessoalmente o António Esteves Martins. Tenho muita pena mas creio que ainda vamos muito a tempo. Quando me encontrava no Departamento de Informação da RTP, onde fui Jornalista-redator durante quase 20 anos, com ele trrabalhei “à distância”. Com ele, e por ínumeras vezes, tive a oportunidade de trabalhar, eu cá, ele lá. Ou a receber informações para tratar editorialmente, ou para estabelecer os contactos, os mais diversos, a nível editorial para as suas intervenções em direto ou reportagens, neste caso no Jornal da Tarde da RTP. Apenas exemplos simples.


Soube pela imprensa que o António Esteves Martins já não é Correspondente da RTP em Bruxelas. Em boa verdade não é nem nunca foi só isso. O António Esteves Martins foi muito, muito mais do que isso. O António Esteves Martins ultrapassava constantemente e de uma forma brilhante as “fronteiras” de Bruxelas. Conhecia a Europa como poucos. Tinha e tem uma vastíssima experiência no terreno, nos “terrenos jornalísticos” os mais diversos. Foi, por isso Correspondente da RTP em muitas “parcelas” do mundo e em outras tantas situações que configuravam noticia, situações as mais diversas.

Era um Correspondente “completo”.

Tanto explicava com assertividade e clareza os acontecimentos relacionados com desporto, com o Futebol à cabeça, por exemplo, acontecimentos que constituíam notícia para lá das nossas fronteiras, como explicava para todos os espectadores de forma clara e manifestamente pedagógica, direi, as mais complexas e intrincadas situações, acontecimentos, eventos, notícias, com as quais se debatia. Um profissional completo, digo eu mas felizmente que nesta convicção não estou só. Longe disso! Era unânime. Facto.

O António Esteves Martins era manifestamente um Correspondente respeitado e incondicionalmente muito, muito credível aos olhos e aos ouvidos dos expectadores. É unânime! Facto.

Ao longo dos anos que trabalhou para a RTP, o António Esteves Martins esteve sempre “muito à frente” como se costuma dizer. Estava na vanguarda. Em frente às camaras de televisão, gostava de explicar sem pressas, o acontecimento, e a sua conjuntura. Era algo que fazia com mestria, com muito saber. Sim, naturalmente lamento que as circunstâncias, que desconheço em profundidade, tenham levado o António Esteves Martins a ir-se embora. Nas suas novas funções, também elas de elevada responsabilidade vai ser por certo um profissional completo, atento e sempre, sempre na vanguarda!“, escreveu na sua página de facebook.

phpthumb-php.jpg

Tânia e Zé Pedro voltam a vencer o “Grande Tarde” da SIC

13442406_769462316529128_4791261620319572307_n.jpg

Esta semana começou da melhor maneira para a dupla da RTP.

A emissão da tarde da RTP1, em torno dos Santos Populares, venceu o programa das tardes da SIC, apresentado por  João Baião.

O programa apresentado por Tânia Ribas de Oliveira e José Pedro Vasconcelos na RTP1, alcançou 2,6% de rating e 12,7% de share e garantiu o segundo lugar na tabela das audiências, enquanto o “Grande Tarde” da SIC obteve 2,1% de rating e 9,7% de share e ficou no terceiro e último lugar no horário. A TVI ficou com o primeiro lugar com o programa “A Tarde é Sua” que registou 3,1% de rating e 14,4% de share.

 

 

Bronca: Teresa Guilherme falou demais e foi arrasada!

img_650x412$2013_01_29_08_32_00_10394.jpg

A polémica está ao rubro e Teresa Guilherme volta a estar debaixo de fogo mas, desta vez, a confusão não é com nenhum colega de profissão.

Esta são as fotos e o texto da polémica que Teresa Guilherme publicou no seu blogue:

o-meu-primeiro-amor-teresa-guilherme-raul-durao-1200.jpg

“O meu primeiro grande amor

Quem não gostou de ler o texto da apresentadora da TVI, foi a filha do falecido rosto da RTP, Sofia Durão:

“És uma pessoa tão doente” – Sofia Durão

Esta criatura foi amante do meu pai e conseguiu um estrelato ainda maior depois dessa grande rampa de lançamento vergonhosa! O meu pai, em vida, desmentiu várias vezes a declaração que ela fez de ter sido casada com ele. Penso que foram bons amigos, amantes certamente, mas não foi amada. És uma pessoa tão doente, meu Deus! Metade do teu livro fala do meu pai, sabes que não foste amada, que destruíste um casamento, conseguiste separar os meus pais ” – disparou a filha de Raúl Durão

tg sdofiadurao.png

Os fãs de Teresa Guilherme saíram em defesa da apresentadora da TVI mas, também houve quem defendesse a filha de Raúl Durão, jornalista que faleceu em 2007:

TG SOFIADURAO.png

00000000000.png

000000000000000000001.png