“Calaram António Esteves Martins” | Especial “Ele Há Coisas”

“Ele Há Coisas” –  Edição Especial

“Calaram António Esteves Martins”

Quem acompanha o site VOX POP TV saberá quais foram as razões para este desfecho. Desde que comecei a acompanhar este caso, que envolve a RTP, sempre tive em mente que o caso ditaria a saída de António Esteves Martins da RTP. Infelizmente, não me enganei!

Segundo sei, este era um objectivo de Paulo Dentinho , director de informação, ou seja, conseguir fazer “cair” o correspondente da RTP em Bruxelas. Dentinho quer, à força, mudar os correspondentes da RTP espalhados pelo mundo e tem conseguido. Tirou a jornalista Rosa Veloso de Espanha, tirou o jornalista João Pacheco de Miranda do Brasil e, curiosamente, deixou o lugar que ocupava como correspondente da RTP em França vazio, desde que assumiu o cargo de director. É, no mínimo, estranho. Preferiu substituir os cargos de correspondentes que estavam ocupados, em vez de colocar alguém no lugar por si deixado, num país como a França, que tem sofrido vários atentados terroristas e que justifica a presença de um correspondente da RTP neste país. Até hoje, não há correspondente da RTP em França. Finalmente vai pode cantar vitória e colocar outro rosto no lugar de António Esteves Martins que se demitiu por ser maltratado pelo seu próprio Director de Informação.

Foi preciso ter Paulo Dentinho como director de informação da RTP para que António Esteves Martins deixasse de ser bom profissional. O que é estranho, com tantos directores de informação que já passaram pela a RTP, nenhum teve razão de queixa do jornalista, muito pelo o contrário, muitos até elogiaram o trabalho do jornalista.

Como é óbvio, este caso levanta suspeitas da forma com surgiu e de como foi conduzido dentro da estação pública.

Como é que o Provedor da RTP Jaime Fernandes – pode tecer, durante 5 minutos seguidos, afirmações e acusações sobre um profissional sem primeiro ter recolhido todas as informações necessárias para poder apresentar no seu programa, a “Voz do Cidadão”?

Como é que perante todas as acusações infundadas apresentadas pelo Jaime Fernandes, o director de informação Paulo Dentinho fica em silêncio e não defende o membro da equipa que lidera?

Até hoje, de Paulo Dentinho nem uma palavra sobre o assunto, mesmo sabendo que o jornalista António Esteves Martins foi acusado injustamente.

A história é esta: António Esteves Martins estava de férias em Londres, com a família, quando o terrorismo se abateu sobre a Bélgica. Logo, o Reino Unido fechou o espaço aéreo e, não só, por precaução. O correspondente da RTP não tinha como regressar a Bruxelas para fazer a cobertura dos acontecimentos e, muito menos, não tinha, nem tem, o dom de adivinhar atentados terroristas para poder marcar as suas férias junto da família.  Ora, a direcção de informação da RTP sabia que o jornalista estava ausente mas, mesmo sabendo deste facto, o director-adjunto de Vitor Gonçalves ficou furioso e, aos gritos, no meio da redacção de jornalistas e, nas costas de António Esteves Martins, chamando-o de “porco de Bruxelas” e acusando-o de “nunca estar quando é preciso”.

Será que  Vitor Gonçalves não goza férias na RTP? Será que as oferece aos colegas da direcção e à administração?? Será que pensa que só ele é que tem direito a usufruir deste direito? Ou será que pensa que os correspondentes da RTP são escravos e, por isso mesmo,  trata-os abaixo de cão? Tudo isto com a cumplicidade de Paulo Dentinho.

Se não tivesse tido adeptos nesta cabala contra o jornalista António Esteves Martins, alguém teria colocado Vitor Gonçalves, um xico-esperto, no seu devido lugar. Ser director-adjunto de informação não significa abusar do poder.

Será que alguém já se esqueceu que este mesmo Vitor Gonçalves esteve no meio da polémica sobre a cedência de DVDs à PSP, referentes à manifestação em frente do Parlamento, no dia 14 de novembro de 2012? Ele nega e diz que não deu autorização à PSP para visualizar as imagens “num ligar discreto” como alguém contou… mas, o que é certo é que possuía no seu gabinete 4 DVDs que diz ter destruído … foi também responsável de um livro sobre Cavaco Silva de nome a “Agenda de Cavaco Silva“. Não acho correcto um jornalista andar de mãos dadas com políticos porque, a sua independência profissional fica, desde logo, beliscada e é colocada em causa.

Com tudo isto é a RTP e, principalmente, os telespectadores que perdem um profundo conhecedor dos assuntos de Bruxelas, que está encarregue de monitorizar os orçamentos nacionais e recomendar medidas correctivas.

Perante estas graves e falsas acusações, sem apoio do seu director de informação, António Esteves Martins foi claro e disse que não estava para aturar insinuações e intrigas do seu colega Vitor Gonçalves.

images.jpg

No decorrer desta polémica, António Esteves Martins disse ainda que “A RTP é uma boa casa, está é mal frequentada” e, tem toda a razão. Enquanto houver este tipo de parasitas, de lambe-botas na RTP, a estação pública nunca terá paz. E, deste tipo de gentinha a RTP tem de sobra, começando na actual administração, acabando nalguns directores.

Olho para isto tudo e vejo que a RTP está nas mãos erradas e caminha, outra vez, para o abismo.

Olho para isto tudo e fico chocado por ver que as mentiras que  Jaime Fernandes disse no seu programa, garantem-lhe o lugar de Provedor, ao invés de ser demitido do cargo que ocupa, depois de ter que dar o dito pelo não dito, perante a sua falta de profissionalismo e rigor que o cargo lhe exige.

Já que Paulo Dentinho não defendeu os jornalistas da estação pública, a Comissão de Trabalhadores da RTP emitiu um comunicado onde pediu a demissão de Jaime Fernandes por considerar que, no caso que envolve António Esteves Martins, o provedor faltou ao respeito e à “dignidade profissional e pessoal” de quem trabalha na RTP e ao “direito de defesa perante eventuais acusações

A Comissão de Trabalhadores da RTP disse ainda que, “confirmar a veracidade de uma acusação antes de lhe dar honra de espaço televisivo e permitir a hipótese de defesa não é uma obrigação reservada aos jornalistasé uma questão de simples decência“.

O Provedor Jaime Fernandes foi acusado pela a Comissão de Trabalhadores da RTP de, fruto da sua ausência de diligências para apresentar a verdade aos telespectadores, ter sido obrigado “a dar o dito por não dito“, o que concluem ter levado à perda de credibilidade junto do público e trabalhadores.

Não resta outra saída ao Provedor que não a demissão“, conclui o comunicado da CT da RTP.

António Esteves Martins é um jornalista com provas dadas e não precisa de provar nada a ninguém. Preferiu ser verdadeiro, em vez de colocar a máscara da falsidade como tantos fazem dentro da RTP. Não gostou de ver o seu trabalho e dignidade posta em causa e, como já diz o ditado “quem não se sente, não é filho de boa gente“.

Deixo ainda, uma palavra de parabéns à revista TV Guia que denunciou este caso e que se manteve atenta ao desenrolar dos acontecimentos. Pouca imprensa, para além desta revista e da VOX POP TV, teve a coragem de trazer o assunto para fora da estação pública e de contar a grande injustiça que estava a acontecer dentro da RTP, a televisão que é paga por todos os portugueses.+

Um Texto de Rui M. – Cronista da VOX POP TV

Anúncios

Deixa o teu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s