Última Hora: “5 Para a Meia-Noite”passa a ser semanal a partir de setembro

O programa de da RTP1 “5 Para a Meia-Noite” vai passar a ser semanal a partir de setembro. A aposta vai agora passar pela Internet, onde o formato vai ter uma presença diária no RTP Play

É já a partir de setembro que o “5 Para a Meia-Noite” vai deixar de existir tal como o conhecemos. O programa de “late-night” despede-se na próxima quarta-feira, dia 8, com um especial de duas horas e regressa renovado na rentrée. Deixa de ser diário e passa a ter uma presença semanal na RTP1. “É um programa que vai existir sobretudo em formato diário no RTP Play, onde é fortíssimo, e depois haverá uma versão semanal que será o apogeu de todo o conteúdo que sai da internet”, começou por explicar o diretor de programas da estação, Daniel Deusdado, à nossa publicação.

Esta quarta-feira, o primeiro canal vai exibir um programa que vai contar com a presença de quase todos os apresentadores que estiveram no comando do “5 Para a Meia-Noite” em 2015 e 2016. “É um especial que fecha este ciclo do ‘5 Para a Meia-Noite’ do ponto de vista diário e que o lança para o passo seguinte da história, que é um programa que vai à procura do seu público mais fiel, o da internet”, sublinhou Deusdado.

A decisão da direção de programas da estação pública em tornar o programa de “late night” num formato semanal prende-se com o seu desgaste natural. “O ‘5 Para a Meia-Noite’ é uma grande marca da RTP, uma marca que nasceu na RTP2 com irreverência e com liberdade, que com o tempo vai-se desgastando. E quanto mais o tempo passa, mais essa fratura fica à vista”, justificou Deusdado, sem retirar mérito a tudo o que o programa alcançou.

A mudança para a RTP1 fez aumentar as exigências relativamente às audiências do “5 Para a Meia-Noite”. “Tornou-se num programa mais ‘mainstream’ e nessa medida acabou por deixar de ser um clube de um conjunto de espectadores que alinhava nesse formato para transformar-se num programa com uma exigência natural da RTP1. O seu resultado é extraordinariamente bom comparando com a sua história na RTP2, nunca perdeu, mas na RTP1 é um programa que parece estar sempre em perda em comparação com os rácios dos canais principais, TVI e SIC”.

Ainda a afinar as grelhas de setembro, a direção de programas da estação ainda está a avaliar o que irá substituir o programa “5 Para a Meia-Noite” na faixa do “late night”, bem como os apresentadores que vão transitar para este novo modelo.

Contactado pela nossa publicação, Nilton, que até agora era o anfitrião das sextas-feiras, revelou que ainda não sabe se fará parte do renovado “5 Para a Meia-Noite”. “Não é uma despedida, e isso é uma boa notícia. Seja comigo, seja com quem for”, realçou.

A partir de dia 9 e durante o Euro 2016, a RTP1 vai ocupar o “late night” com o programa “A Culpa é do Ronaldo”. Depois segue-se uma aposta em séries e filmes até setembro, altura em que vão ser anunciadas as novas apostas da estação pública.

Um Texto de:
Márcia Gurgel – Jornalista do JN
15860288_dSTWS.jpeg

Bronca: cantor Biel assedia jornalista com frases agressivas

Um Texto de: Damy Coelho da Cifra Clube News Brasil para a VOX POP TV Portugal

O cantor Biel foi acusado de cometer assédio sexual a uma repórter do portal IG, enquanto participava de uma entrevista para divulgar seu novo álbum. Segundo a repórter de 21 anos (que pediu para não ser identificada), o cantor a chamou de “gostosa” e ainda disse que “a quebraria no meio” caso transasse com ela.

Segundo o portal IG, a repórter participava de uma entrevista com o cantor, e outros jornalistas estavam presentes. Quando a jovem comenta que tem quase a mesma idade que ele (Biel tem 20 anos), o cantor devolve: ”Idade não significa nada. Se te pego, te quebro no meio”.

O constrangimento continua: a jornalista comenta que a sentença “Biel é bixessual?” é a mais usada na busca do Google sobre o cantor e ele dispara: “Por quê? Você quer que eu te mostre o que eu sou com atos e ações?”, rebate o MC, deixando a repórter visivelmente constrangida. Em seguida, ele conclui: “E eu sou heterossexual. Eu gosto é de boceta”.

Em determinado momento, o cantor recebe uma ligação e pede para a repórter atender. Ela pega o telefone e explica que o cantor está concedendo uma entrevista e que ligaria depois. Biel então pega o celular de volta e chama a jornalista de “cuzona”. Logo depois, inicia uma conversa em vídeo com o amigo que teria feito a ligação: “Mano, que ramelona essa mina, mas dá um desconto porque ela é gostosinha”, diz o cantor.

O constrangimento continua em outros momentos e outros jornalistas presentes puderam perceber como a repórter saiu abalada da entrevista, segundo o IG.

O caso chocante aconteceu em maio, mas só nesta semana ganhou a mídia. Biel foi intimado a depor e já compareceu à delegacia. Devido à repercussão, a assessoria do MC se pronunciou dizendo que “lamenta o ocorrido”.

Já o empresário do cantor, Alexandre Baptestini, disse que tudo não passou de um “mal entendido”. Ao portal Extra, Alexandre afirmou: “Não sei se é uma pessoa querendo tirar algum proveito, mas o Biel respeita todas as mulheres, nunca teve problema com nada. Foi tudo em clima de brincadeira”.

Assédio sexual é crime

A jornalista levou o caso para a 1ª Delegacia da Mulher de São Paulo, denunciando Biel por assédio sexual. A entrevista foi toda gravada em áudio, e testemunhas que estavam no local também confirmam o ocorrido. Os indícios em questão serão usados como prova para a acusação do cantor. O próximo passo é ouvir as testemunhas.

“O crime de assédio sexual está previsto no art. 216-A do Código Penal Brasileiro, que limita a aplicação às relações de trabalho, em que uma pessoa em situação hierarquicamente superior constrange outra para tentar obter vantagem ou favorecimento sexual”, explica a advogada Larah Firmo. “Apesar de ele se utilizar da sua posição hierarquicamente superior de artista entrevistado para constranger a jornalista, infelizmente é possível que não seja tipificado com crime de assédio sexual por não envolver uma relação típica de emprego”, comenta.

A advogada ainda explica que o abuso sexual é um crime mais comum do que muita gente pensa. “O abuso previsto no Código Penal decorre de relações de trabalho e exatamente por isso muitas mulheres têm medo de denunciar e perder os seus empregos. Só que isso ocorre em diversas outras situações como esta, que deveriam ser também resguardadas em nosso ordenamento jurídico. Falta uma conscientização a respeito, porque o assédio muitas vezes é levado como uma simples brincadeira, mas é esse tipo de ação que perpetua o machismo e os vários crimes contra a mulher”, conclui.

Ao ser procurada para comentar o caso, a vítima desabafou: “Após o assédio sexual, todo mundo me deu apoio e falou para registrar boletim de ocorrência, para expor mesmo e não deixar passar batido. Quero que nenhuma outra mulher passe por isso”.

mc-biel-19.jpg

Tourada sobe 50% a audiência da RTP1

A RTP1 voltou a transmitir ontem, sexta-feira, a sua primeira corrida de touros em directo.

A polémica sobre as transmissões de touradas na estação pública continua bem viva e promete continuar nos próximos tempos.

A emissão de ontem, um directo da corrida na Chamusca, teve cerca de 3 horas de transmissão fazendo com que a RTP1 registasse um resultado superior a 50% àqueles que costuma alcançar com outros programas no mesmo horário.

A corrida de touros da Chamusca rendeu um rating de 3,7% e um share de 11,4%, sendo que às sextas-feiras, com  a sua programação normal, a RTP1 não faz mais do que 2,4 de rating e 7 de share. Logo, isto representa uma subida de 50% nas audiências.

O Alentejo foi a região do país que mais seguiu a transmissão da RTP1, tendo sido registado uma audiência de 12,6% de rating e 37% de share.

António Esteves Martins sai da RTP | MediaTV – VOX POP TV

Este é mais um daqueles casos onde a verdade perde junto de quem tem o poder.

Correspondente em Bruxelas demite-se e vai para porta-voz na Representação Permanente de Portugal na União Europeia

António Esteves Martins vai deixar a RTP. O jornalista, há quase 33 anos na estação pública, confirmou ao DN que já comunicou a sua saída à administração da RTP.

Na origem da sua decisão estão alegados desentendimentos com a direção de informação da RTP após uma edição do programa Voz do Cidadão, com o provedor Jaime Fernandes. “Recentemente aconteceu algo que não considero aceitável. Estava de férias e fui acusado pelo provedor de faltar ao trabalho, nos atentados de 22 de março. Eu estava em Londres e quando quis voltar a Bruxelas o espaço aéreo estava fechado“, revelou ao DN o correspondente na capital belga.

António Esteves Martins afirmou ainda que não se sentiu “protegido“. “Sentia-me persona non grata da direção de informação. Não me senti protegido“, referiu. Entretanto, o jornalista de 63 anos foi sondado para ser porta-voz da Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia (REPER), o que aceitou. Isto mesmo foi também confirmado ao DN pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros. Mas recusou a situação de requisição, optando mesmo por abandonar a estação de televisão.

O diretor de informação da RTP, Paulo Dentinho, disse ao DN desconhecer que o jornalista em Bruxelas ia sair do canal. “Procurei defendê-lo [no caso do provedor] e à empresa e quis evitar polémicas. Se ele quer sair, lamento que saia desta maneira, mas desejo-lhe boa sorte. Cada um é responsável pelos seus atos”, afirmou. Fonte oficial da administração da RTP confirmou o pedido de demissão do jornalista, dizendo que este foi aceite. In, JN