Nuno Santos condena regresso da “Praça da Alegria” na RTP1

unnamed-25-754x503

ng1469389

O ex-director da RTP e da SIC não concorda com o regresso da “Praça da Alegria” às manhãs da RTP1.

Nuno Santos diz que esta reviravolta de Daniel Deusdado foi um “erro” e que “era necessário que eles [Jorge Gabriel e Sónia Araújo] se reinventassem e noutro horário, não que fizessem mais do mesmo como se o tempo não tivesse passado”, remata.

José Carlos Pereira de novo com álcool no sangue | Abasteceu e fugiu!

hhjklkjhgfdfghjklçlkjhgfdfghjklçº

O ACTOR E ESTUDANTE DE MEDICINA VOLTOU A CEDER ÀS SUAS FRAQUEZAS.

DEPOIS DE NO PASSADO DIA 11 DE DEZEMBRO TER SIDO APANHADO PELA POLÍCIA COM QUASE CINCO VEZES DE ÁLCOOL NO SANGUE DO QUE É PERMITIDO POR LEI, ZECA VOLTOU A PISAR A LINHA VERMELHA.

 

Desta vez, José Carlos Pereira foi abastecer  o seu automóvel e fugiu sem pagar. Foi a PSP que acabou por o deter por causa do sucedido. Para além de ter fugido, Zeca apresentava valores de álcool no sangue.

“Treze”: ideia de Daniel Deusdado coloca RTP em tribunal

18955572_OmZMd

‘Treze’ vai acabar nos tribunais. O formato televisivo com o mesmo nome foi registado na IGAC.

A utilização por parte da RTP da designação de ‘Treze’ para o nome do programa apresentado por Sílvia Alberto vai acabar em tribunal. Isto porque em 2007 foi registado na Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC) uma obra com o nome de ‘Treze ou Treze da Sorte’. Esse registo, ainda em vigor, também dizia respeito a um programa televisivo.
Ao CM, o autor do registo, João Alberto Ferreira da Silva, afirma que vai “processar a RTP por uso indevido” do nome ‘Treze’ para o programa que é emitido no canal público às terças-feiras. Contactada pelo CM, a RTP confirmou que foi abordada pelo “mandatário” de João Alberto Ferreira da Silva antes da estreia do programa, a quem explicou que “o formato que a RTP 1 ia estrear não tinha qualquer semelhança com a obra que se encontrava registada na IGAC”.
Além disso, fonte oficial da empresa pública acrescenta que a RTP “enviou uma carta que esclarecia todas as dúvidas colocadas, abordando, designadamente, a questão do título do programa”. Nessa missiva, o grupo presidido por Gonçalo Reis afirmava que “o formato do seu cliente é do género ‘concurso/jogo’, sendo que o programa da RTP é um ‘talk show’”. “A única semelhança com a obra do seu cliente é, por coincidência, o respetivo título.”
A RTP revelou ainda ao CM que “registou, como marca, o título do programa, não tendo havido, até à data, qualquer reclamação”.
In, CM

CMTV na NOS em 2016

fac

A NOS vai ter a partir de 14 de janeiro a CMTV. O canal do grupo Cofina estava até aqui em exclusividade com o Meo, plataforma de televisão paga da PT com que tinha um acordo de exclusividade de três anos. Com o fim do período de exclusividade, canal pode estar disponível em plataformas concorrentes, mas mantém-se na oferta do Meo.

A CMTV vai passar a integrar a oferta digital da NOS e “reforça a aposta da operadora na produção e distribuição de conteúdos relevantes para os seus clientes nomeadamente de língua portuguesa”, diz a NOS. A NOS reforça igualmente ao nível dos canais de informação em português onde já tem na sua oferta a SIC Notícias, o TVI24 e a RTP3.

Em novembro, segundo os dados avançados pela empresa, a CMTV registou uma audiência total de 749 580 espectadores. O CMTV arrancou há cerca de 3 anos no Meo, plataforma com quem mantinham um contrato de exclusividade durante três. O contrato é válido até 2017.

A Vodafone está a negociar com a CMTV para integrar o canal do grupo Cofina na sua oferta. “Confirmamos que estão a decorrer conversações no sentido de integrar a CMTV na lista de canais do serviço de TV da Vodafone”, adianta fonte oficial da operadora.

IN, D. VIVO